Pages Navigation Menu

Tao Judaísmo de Verdade no Brasil e no mundo

A LUZ DO TAO pode resplandecer nos seus olhos

A LUZ DO TAO pode resplandecer nos seus olhos

Um dia, um abnegado monge Taoísta abandonou, por um momento, sua vida monástica. Saiu de seu tão querido e amado Mosteiro, e descendeu pelas ladeiras montanhosas em direção a um povoado muito distante dali, o qual, depois de alguns longos anos, se havia convertido quase em uma gigante metrópole. Teve que disfarçar-se com as roupas e os costumes de um “ser civilizado” para poder vivenciar, assim, as surpresas boas ou más que embargam ao mundo; também necessitava atualizar-se sobre as alegrias e tristezas nas quais estavam imbuídos os seus familiares e amigos…

 

Ia e vinha pelas avenidas, ruas, praças e centros comerciais… quase sem reconhecer o lugar onde havia nascido e vivido em sua infância e juventude. Tudo já era quase desconhecido… Mas nunca perdia de vista sua aprendizagem, sua disciplina, os cuidados com sua saúde, sua espiritualidade e os objetivos vivos com os quais já havia nascido; não queria decair nos devaneios e quebrantos da vida moderna, com todas as suas terriveis tentações. Com frequência se lembrava dos preceitos Divinos que conformavam um compendio de pautas que ordenam a vida humana em direção à Senda de Luz.

 

Às vezes, já um pouco descontente por estar entre a multidão, se sentia mais feliz quando se refugiava, em sua solidão espiritual, sob a refrescante sombra e doce companhia de frondosas árvores dos parques verdejantes daquela cidade.

.

Ao reviver as experiências da vida social, isso lhe trouxe gratas surpresas, entre as quais se destacou uma muito singela, mas muito especial, que confirmou a grandeza de seus esforços e de sua dedicação. Estando reunido com um grupo de anciãos, os quais festejavam um encontro alegre entre “crianças” já um pouco avançadas de idade, ao ser cumprimentado por algumas senhoras que, elegantemente, ali chegavam, uma delas o observa atentamente e profundamente o seu rosto e, repentinamente, lhe diz: “Você tem luz em seus olhos”.

 

Ao ouvir aquilo, o monge apenas pode sorrir ternamente… e esperar o que seguia depois. Neste momento recordou sua vida no Mosteiro e sua disciplina espiritual. Se lembrou dos ensinamentos e da presença angelical de seus guias, de como eles eram brilhantes com sua sabedoria, a qual refletiam o encanto dos céus.

 

Ele queria ensinar algo àquela senhora, mas sabia que ela não o compreenderia. Queria ensinar-lhe a potencializar sua qualidade de vida. Queria ensinar-lhe a alimentar-se melhor, a ter disciplina… Mas aquele não parecia ser o momento preciso!

 

Algo muito especial queria ensinar-lhe: que existem componentes físicos, energéticos e etéricos que, quando cumprimos com as diferentes Leis Divinas do cuidado do Templo corpo, eles ascendem desde o sistema reprodutor e viajam pela coluna vertebral em direção ao coração. Esses sagrados e alquímicos componentes, se chamam: FOHAT, ASKOKINSI-12. Eles dão saúde, regeneram o corpo e restauram a Alma. Práticas, entre muitas outras, que caracterizam a ciência e a forma de vida do TAO ANDINO.

 

Mais uma vez ficou confirmado um grande e sábio provérbio popular que diz: “Os olhos são o espelho da Alma”. E mais uma vez o monge se convenceu do que sempre lhe havia sido ensinado e lido nos papiros sagrados: “O mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos”.

 

Agora, perguntamos a você, querido leitor, o qual tem lido nossas publicações e refletido sobre elas: quando deixará que o TAO resplandeça em seus olhos? …Só as grandes mudanças, desde já, lhe permitirão esta grande bondade.

 WEORVRASIEL

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *